Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

19
Jun 14

Tenho medo de olhar o teu rosto lusco-fusco, e frágil, de areia, de mar, maré...

cacilheiro à procura de uma gaivota com sorriso de amanhecer,

poema inventado, poema por escrever,

sentindo nas pálpebras os alicerces da madrugada de papel,

tenho medo, confesso, de olhar-te nesse espelho convexo, onde pareces uma persiana suspensa no vento sem rumo, sem... sem estória,

uma correia, uma roda dentada... em movimento,

tenho medo, medo,

que adormeças, que não regresses... sem me dizeres... Adeus,

encontrar-nos-emos qualquer dia, por aí, numa esplanada,

ou... ou no Céu,

não acredito, mas finjo acreditar, e do medo, e do medo nascem em mim silêncios,

e... e palavras de gritar.

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quinta-feira, 19 de Junho de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:04

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Palavras de gritar

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO