Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

12
Mar 14

foto de: A&M ART and Photos

 

Há no teu sangue a paixão do amanhecer, penso eu,

vives como se fosses uma árvore suspensa na solidão,

choras, sonhas? Há em ti as insígnias da madrugada,

como lisas paredes ente a montanha e o mar,

há no teu sangue a saudade da vida, dos telhados em zinco perdidos nos velhos musseques...

há no teu peito uma rosa dentada, uma Bedford amarela prisioneira a um cordel imaginário, sem folgas, sem ruas, esplanadas, ou... ou simples palavras,

 

Há no teu corpo uma âncora em papel que te fundeia ao cais da dor,

âncora salgada e filha do barco marinheiro em combustão,

vives no teu sangue como serpentes envenenadas, tristes... e ausentes,

há no teu sangue a noite onde escreves poemas,

inventas rios e dos rios... recordas-te do rio Congo? E das bananeiras pedindo-te perdão...

… ou... ou quando te deitavas na areia límpida do Mussulo,

 

Há nas tuas veias o sangue da paixão, penso eu,

aquele que te alimenta, o penhasco bravio dos pinheiros mansos,

há em ti cortinados que encerram as janelas do teu olhar,

meigo como as gaivotas, colorido... sensato, há no teu sangue o meu sangue,

o sangue dos livros que leste e depois... apenas lá,

lá... no longínquo Oceano de lata.

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quarta-feira, 12 de Março de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 23:02

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO