Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

18
Jan 14

foto de: A&M ART and Photos

 

Não sei o nome dos teus olhos molhados

quando chovem pedaços de saudade nas pedras íngremes do silêncio

convenço-me que sou um corpo putrefacto esquecido nos pingentes húmidos telhados de vidro

sentindo as tuas mãos em aço

e submergindo nas tempestuosas águas que as palavras trazem depois de escritas

ditas e perdidas nas calçadas com flores apaixonadas pelos candeeiros envidraçados do medo

e na areia da paixão sei que vivem vogais vestidas de negro vendendo o corpo por três moedas...

sei que o teu corpo é um fóssil mergulhado nas quatro pedras de gelo do meu invisível uísque

sinto-as como carícias sombras nas páginas do livro de poemas à procura do barco dos sonhos

apitam e choram apitam... e gritam... e apitam... e gritam o apito da melancolia

e em loucas orgias de sílabas licenciadas em nuvens de sémen...

não sei o nome... dos anzóis da solidão.

 

 

@Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sábado, 18 de Janeiro de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 23:11

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Sem nome – o teu nome

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO