Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

14
Dez 16

Um dia vou regressar

Aos teus braços,

Minha terra prometida!

Um dia vou cortar estes laços

Que me aprisionam à maré esquecida…

Sem tocar no mar,

Sem tocar nos teus lábios entre abraços

E multidões em fúria,

Um dia,

Um dia vou regressar

Para nunca mais voltar,

Sentir a lamúria

Dos espelhos prateados,

Um dia,

Um dia vou libertar todos os corpos cansados…

Aos teus braços)

Nos teus abraços)

E não vou chorar,

E não vou brincar…

No teu triste olhar.

 

 

Francisco Luís Fontinha

14/12/16

publicado por Francisco Luís Fontinha às 16:48

16
Jul 14

A terra que te prometi, existirá?

o chão lapidado onde rolavam dois corpos de arame, como era o seu nome...

esqueci o significado de noite,

esqueci o horário nocturno das avenidas em flor,

a terra, a terra que te prometi... não, nunca, nunca mais a observei,

antes brincávamos como duas crianças em frente ao mar,

e hoje,

e hoje o chão lapidado onde habitavam os nossos corpos deixou de existir,

havia uma cama fictícia com duas lanternas de silêncio...

havia um apito que assinalava a nossa partida,

partir,

não regressar, nunca, e nunca mais a observei.

 

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quarta-feira, 16 de Julho de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 21:48

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Um dia

Terra prometida

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO