Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

06
Dez 15

O desarmado soldado na guerra do silêncio, as armas mortíferas incendiadas na paixão da vida, o meu Major sempre bêbado, o uísque trepando as escadas da solidão, bebes um como meu filho

Não, não meu Major, não bebo, nunca bebi com um Major,

Não bebo por bérber, bebo para envelhecer, dizia-me o tio Serafim, homem da terra, artista, conhecedor da ciência do bacalhau, sabe-a toda, ele, nunca fez nada na vida, parecia um espantalho do milho

Ente parêntesis, a vida, o cansaço, o cansaço da vida, de estar vivo, o cansaço das manhãs sem literatura, o aventureiro mendigo das ruas desertas de Lisboa,

O meu Major sempre bêbado, levava-o ao seu porto de abrigo, aprisionava-o à cama não fosse a tempestade levá-lo, mas vamos ser reais

Quem deseja um Major Bêbado?

Dava-me semanas de férias, …

 

 

(ficção)

Francisco Luís Fontinha

Alijó, 06/12/2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 13:55

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO