Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

O Douro em mágoa

Francisco Luís Fontinha 7 Jul 11

O Douro em mágoa

No ombro o peso da enxada

Do silêncio o rio acorrentado à água

No rio ela deitada,

 

O rabelo nas máscaras do anoitecer

Desce e sobe socalcos nas entranhas do xisto

Na minha mão envelhecer

Com estas pernas eu desisto,

 

E o cheiro da uva que se engasga na neblina

O verde emagrecer da folha que da videira acorda

E do chão terra minha sina,

 

A agreste chuva miudinha

Que o corpo afoga

Do corpo dormente na vinha.

Sobre o autor

foto do autor

Feedback